Pesquisar
Pesquisar

Añez libera milho transgênico na Bolívia; Evo denuncia riscos ecológico e para a saúde

Decreto reforça liberação do uso de sementes geneticamente modificadas para diversas culturas, como milho, trigo, soja, cana-de-açúcar e algodão
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Buenos Aires

Tradução:

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, alertou sobre os perigos ecológicos e para a saúde que os transgênicos representam para a Bolívia em decorrência de um novo decreto da presidente de fato Jeanine Áñez.

Añez assinou há três dias o Decreto Supremo 4.348, que estabelece o uso de sementes transgênicas de milho em áreas a serem identificadas e a coexistência em algumas áreas com sementes nativas.

Essas disposições foram descritas no Twitter por Morales como “um ataque à vida e à Pachamama (mãe terra)”.

Decreto reforça liberação do uso de sementes geneticamente modificadas para diversas culturas, como milho, trigo, soja, cana-de-açúcar e algodão

Campanha Permanente contra os Agrotóxicos
O glifosato, um agroquímico usado em 85% das safras transgênicas, é altamente prejudicial à saúde humana

O Decreto 4.348 reforça as disposições do 4.232, que assinado em 7 de maio deu luz verde ao uso de sementes geneticamente modificadas para diversas culturas, entre elas aquelas consideradas a matriz nutricional dos bolivianos: milho, trigo, soja, cana-de-açúcar e algodão.

Desde então, mais de uma centena de instituições e organizações produtivas manifestaram seu repúdio à norma, considerando que, além de violar a Constituição e os acordos internacionais, viola a saúde dos bolivianos e a diversidade biológica do país.

Por exemplo, o glifosato, um agroquímico usado em 85% das safras transgênicas, é altamente prejudicial à saúde humana, de acordo com estudos científicos e médicos endossados pela Organização Mundial de Saúde.

Por outro lado, a Carta Magna do país sul-americano estabelece que é obrigação do Estado “garantir a segurança alimentar por meio de alimentos saudáveis, adequados e suficientes para toda a população”.

Até a assinatura dos decretos mencionados, a Bolívia só autorizava a produção da soja RR1 devido à sua resistência ao glifosato.

Redação Prensa Latina

Prensa Latina, especial para Diálogos do Sul — Direitos reservados.

As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Veja também

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Catástrofe_RS_clima
Cannabrava | Catástrofe climática, tragédia humana
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Rio-Grande-do-Sul-emergencia-climatica
Além do RS: América do Sul teve outros 3 eventos climáticos extremos apenas em 2024