Pesquisar
Pesquisar

Carta da CNBB ao povo brasileiro é crítica contundente ao golpismo do atual governo

“Como se não bastassem todos os desafios estruturais (...), urge reafirmar o óbvio: Nossa jovem democracia precisa ser protegida"
Sueli Scutti
Portal Vermelho
São Paulo (SP)

Tradução:

Sob a presidência de dom Walmor Oliveira de Azevedo, arcebispo de Belo Horizonte (MG), a assembleia reuniu 292 bispos católicos de todo o Brasil, entre os dias 28 de agosto e 2 de setembro, quando foi divulgada a “Mensagem da CNBB ao povo brasileiro sobre o momento atual”, que afirma estar o Brasil “envolto em crise complexa e sistêmica”.

O texto traz um tom contundente de crítica ao governo central, embora não cite diretamente o presidente ou qualquer autoridade da República. Um dos trechos registra que essa crise “escancara a desigualdade estrutural, historicamente enraizada na sociedade brasileira. Constatamos os alarmantes descuidos com a Terra, a violência latente, explícita e crescente, potencializada pela flexibilização da posse e do porte de armas que ameaçam o convívio humano harmonioso e pacífico na sociedade. Entre outros aspectos destes tempos estão o desemprego e a falta de acesso à educação de qualidade para todos”.

Fundamentalismo começou nos anos 40, como estratégia dos EUA para frear comunismo

Ao citar dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) sobre a fome, o documento lembra os milhões de famintos no Brasil e registra que “a fome, para os bispos do Brasil, é certamente o mais cruel e criminoso [dos aspectos destes tempos], pois a alimentação é um direito inalienável”. “A fome é criminosa”, reiterou dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre (RS) e primeiro vice-presidente da CNBB, durante entrevista coletiva para anúncio da carta.

“Como se não bastassem todos os desafios estruturais (...), urge reafirmar o óbvio: Nossa jovem democracia precisa ser protegida"

CNBB – Flickr
“A manipulação religiosa, protagonizada por políticos e religiosos, desvirtua os valores do Evangelho e tira o foco dos reais problemas"




Defesa da Democracia

Além desses problemas, no documento os bispos fazem uma firme defesa da democracia brasileira: “Como se não bastassem todos os desafios estruturais e conjunturais a serem enfrentados, urge reafirmar o óbvio: Nossa jovem democracia precisa ser protegida, por meio de amplo pacto nacional. Isso não significa somente um respeito formal de regras, mas é o fruto da convicta aceitação dos valores que inspiram os procedimentos democráticos”.

Presidente da CNBB, dom Walmor Oliveira de Azevedo, em entrevista coletiva dia 2/9/2022 (Foto: Luiz Lopes Jr./CNBB)

O documento afirma que as tentativas de ruptura da ordem institucional, veladas ou explícitas, buscam colocar em xeque a lisura desse processo, bem como a conquista irrevogável do voto. “Pelo seu exercício responsável e consciente, a população tem a capacidade de refazer caminhos, corrigir equívocos e reafirmar valores. Reiteramos nosso apoio incondicional às instituições da República, responsáveis pela legitimação do processo e dos resultados das eleições”.

Os bispos reforçaram ainda a preocupação com a manipulação religiosa e a disseminação de notícias falsas (fake news) que têm o poder de desestruturar a harmonia entre pessoas, povos e culturas, colocando em risco a democracia. “A manipulação religiosa, protagonizada por políticos e religiosos, desvirtua os valores do Evangelho e tira o foco dos reais problemas que necessitam ser debatidos e enfrentados em nosso Brasil. É fundamental um compromisso autêntico com o Evangelho e com a verdade”, afirmaram.

Leia a íntegra da mensagem:

Sueli Scutti | Portal Vermelho


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Sueli Scutti

LEIA tAMBÉM

1fe87bc8-369d-4b78-beb4-3c0e60d7b520
Qual o preço da aprovação do furo do teto dos gastos? Saiu barato para o centrão!
60c4bd06-ab9f-4bd3-8926-d6d97b0e6289
Por mentir descaradamente durante eleições, Jovem Pan perde monetização no YouTube
a1478090-ccd2-4be6-a65e-9208a13c3341
Com derrota à crueldade fascista, RS dá fôlego à esquerda e retoma diálogo democrático
d3908a35-5d39-49e0-8e1b-a5eb2078d981
Fascistas nas ruas, serviço público precário e prefeito negligente: Porto Alegre volta a 1964