Pesquisar
Pesquisar
Foto: X de Jesús Chuy García

Coalizão exige que Biden regularize trabalhadores indocumentados: “pagam US$ 17 bi em impostos”

"É hora de dar aos imigrantes que mantêm nosso país funcionando as permissões de trabalho que merecem", afirma o deputado federal Jesús Chuy García
David Brooks, Jim Cason
La Jornada
Washington, DC

Tradução:

Beatriz Cannabrava

Uma coalizão de deputados, empresários e trabalhadores exige ao presidente Joe Biden usar sua autoridade presidencial para conceder permissões de trabalho a imigrantes indocumentados que trabalham, pagam impostos e criam riqueza há anos e até décadas nos Estados Unidos.

“Nossa mensagem ao presidente Biden: é hora de dar aos imigrantes que já têm estado fazendo o trabalho e mantendo nosso país funcionando as permissões de trabalho que merecem. Os imigrantes e requerentes de asilo querem trabalhar, querem sair da sombra e serem reconhecidos pelas contribuições que fazem às nossas comunidades e à nossa nação”, declarou o deputado federal Jesús Chuy García.

Leia também | Como medo da deportação tortura psicológico de indocumentados nos EUA

García e líderes empresariais, sociais e trabalhistas observaram que o presidente tem a autoridade legal para conceder permissões de trabalho através de uma ordem executiva. Na verdade, Biden já usou essa autoridade para conceder permissões de trabalho a imigrantes recentes de certos países como Ucrânia e Venezuela.

“Estou cansado, presidente Biden, de o senhor não agir”, declarou Eduardo Diaz, cidadão americano, que tem estado separado de sua esposa, que não tem direito de regressar ao país por 10 anos segundo leis de imigração. O deputado García e outros 12 deputados federais apelaram a Biden para conceder permissões de trabalho para os ilegais casados com cidadãos americanos, para os “sonhadores” que não estão protegidos da deportação, e para trabalhadores ilegais que têm trabalhado durante anos e pagando impostos, mas não têm autorização para estar no país.

Leia também | Isolamento: familiares indocumentados nos EUA evitam se visitar para garantir segurança

Sam Sánchez, empresário de restaurantes e presidente do Third Coast Hospitality, originário de Nuevo León e residente de Chicago, explicou ao La Jornada que “são mais de oito milhões de mexicanos ilegais que estão trabalhando. Alguns têm mais de 30 anos pagando impostos, mais de 17 bilhões de dólares de pagamento de impostos anuais”.

“Estamos exigindo, porque sabemos que o presidente tem o poder de emitir uma ordem executiva como o fez para os migrantes que vão chegando novos, que o faça para os que já estão aqui, que pagam impostos, que estão trabalhando, que são empresários e pagam impostos e têm trabalhadores, trabalhadores que são americanos e gente ilegal”.

Leia também | Imigrantes indocumentados: da violência na terra natal à exploração trabalhista nos EUA

Cerca de 80 deputados estaduais e locais endossaram esta demanda, informou Ashanti Martínez, presidente do caucus latino da Câmara do estado de Maryland. “Presidente Biden: esperamos muito tempo para que o senhor faça o certo”.

La Jornada, especial para Diálogos do Sul – Direitos reservados.


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
David Brooks Correspondente do La Jornada nos EUA desde 1992, é autor de vários trabalhos acadêmicos e em 1988 fundou o Programa Diálogos México-EUA, que promoveu um intercâmbio bilateral entre setores sociais nacionais desses países sobre integração econômica. Foi também pesquisador sênior e membro fundador do Centro Latino-americano de Estudos Estratégicos (CLEE), na Cidade do México.

LEIA tAMBÉM

Trump
À frente em 5 estados-chave, Trump tira de Biden eleitores historicamente democratas
Carles Puigdemont (1)
Sugestão de Puigdemont após eleição na Catalunha cria tensão com governo Sánchez; entenda
Andrei Belousov - Rússia (1)
Rússia: bem-sucedida no front, estratégia militar vai se manter com novo ministro da Defesa
imigrantes-eua
Para agradar republicanos e democratas, Biden aprova medida que facilita expulsão de imigrantes