Pesquisar
Pesquisar

Cooperação em risco? Veja indagações dos EUA ao Brasil sobre ameaças de militares às urnas

Parlamentares estadunidenses querem saber se as Forças Armadas brasileiras estão operando para “manipular ou anular” os resultados das eleições
Tiago Pereira
Rede Brasil Atual
São Paulo (SP)

Tradução:

Deputados dos Estados Unidos (EUA) querem esclarecimentos sobre as ameaças pelas Forças Armadas do Brasil de interferir nas eleições deste ano. Caso se confirme que os militares estejam atuando contra a normalidade do processo eleitoral, o país perderia acesso a fundos americanos de auxílio a países estrangeiros, vedados a nações não-democráticas.

O democrata Tom Malinowski, de Nova Jersey, apresentou proposta de emenda ao Orçamento anual de Defesa para que o governo estadunidense apresente um relatório sobre a atuação dos militares brasileiros. Outros cinco representantes do Partido Democrata – legenda do presidente Joe Biden – também assinam a proposta, que ainda vai a votação na Câmara dos Representantes. A informação é do site Brasil Wire, nesta quarta-feira (6).

Assista na TV Diálogos do Sul

Os parlamentares dos EUA querem saber se os militares brasileiros estão operando para “manipular ou anular” os resultados das eleições. E agindo para “interferir, interromper ou obstruir” a contagem dos votos por autoridades eleitorais independentes.

Também cobram informações sobre a participação dos militares em eventuais “esforços coordenados” de comunicação para minar a confiança da população nas autoridades eleitorais ou para questionar os resultados das urnas. E se estão usando mídias sociais ou outros meios para tentar “influenciar opiniões” em favor de algum “resultado específico”.

Por fim, também querem saber se as Forças Armadas estariam atuando para “encorajar, incitar ou facilitar atividades ou contestações físicas de motim em relação a processos eleitorais”, antes ou depois das eleições presidenciais deste ano

Parlamentares estadunidenses querem saber se as Forças Armadas brasileiras estão operando para “manipular ou anular” os resultados das eleições

EBC
Em janeiro de 2021, tentativa de golpe estimulada por Trump resultou em cinco mortos e dezenas de agentes de segurança feridos nos EUA

Na ocasião, centenas de apoiadores do ex-presidente Donald Trump invadiram o Congresso para tentar impedir a certificação da vitória de Joe Biden nas eleições. A tentativa de golpe, estimulada pelo próprio Trump, resultou em cinco mortos e dezenas de agentes de segurança feridos.

Assista na TV Diálogos do Sul

Na terça-feira (5), o ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, descartou que as Forças Armadas estejam “duvidando” da segurança do voto eletrônico. “Não estamos duvidando ou achando isso ou aquilo outro, mas simplesmente com espírito colaborativo”, disse o militar, durante audiência na comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional na Câmara dos Deputados.

Mas o Exército principalmente tenta interferir na organização do pleito de outubro. Em maio, o TSE refutou três das sete “sugestões” dos militares para o aprimoramento do sistema eleitoral. As demais, o Tribunal ressaltou que já estão sendo aplicadas. Fachin chegou a afirmar que quem trata das eleições no Brasil são “as forças desarmadas“.

Também nesta semana, deputados do PT acionaram o Ministério Público do Distrito Federal (MP-DF) para que o órgão investigue o general Walter Braga Netto (PL) por ameaças à democracia. De acordo com o jornal O Globo, em evento com empresários no mês passado, ele teria dito que “se não for feita a auditoria dos votos defendida pelo presidente da República”, não haverá eleição neste ano. Conforme afirmou o cientista político João Roberto Martins Filho sobre as investidas golpistas dos militares, “daqui até a eleição, serão três meses muito complicados“.

Tiago Pereira, da RBA.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Tiago Pereira

LEIA tAMBÉM

1fe87bc8-369d-4b78-beb4-3c0e60d7b520
Qual o preço da aprovação do furo do teto dos gastos? Saiu barato para o centrão!
60c4bd06-ab9f-4bd3-8926-d6d97b0e6289
Por mentir descaradamente durante eleições, Jovem Pan perde monetização no YouTube
a1478090-ccd2-4be6-a65e-9208a13c3341
Com derrota à crueldade fascista, RS dá fôlego à esquerda e retoma diálogo democrático
d3908a35-5d39-49e0-8e1b-a5eb2078d981
Fascistas nas ruas, serviço público precário e prefeito negligente: Porto Alegre volta a 1964