Pesquisar
Pesquisar

Democracia dos EUA foi convertida em arma de destruição em massa, afirma político da Zâmbia

Ainda segundo Fred M'membe, Washington "manipulou a política interna ucraniana desde [...] 2014 para o país ficar contra a Rússia"
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

O jornalista e presidente do Partido Socialista da Zâmbia, Fred M’membe, criticou a segunda Cúpula para a Democracia realizada em seu país e organizada pelos EUA, Costa Rica, Países Baixos, Coreia do Sul e Zâmbia.

O político observou que Washington não tem o direito de dar lições de democracia a outros países levando em conta sua história de ingerências nos assuntos de outros Estados, informou a mídia local.

“O que os EUA podem nos ensinar sobre democracia e eleições, um país que iniciou tantos golpes de Estado na África e outras partes do mundo, que assassinou tantos líderes nossos e ajudou a manipular as eleições em muitos países? Suas próprias eleições estão sendo questionadas”, destacou M’membe.

Assista na TV Diálogos do Sul

Além disso, em uma série de mensagens no Twitter, o político qualificou a cúpula como “ferramenta dos EUA para ajudar a preservar sua hegemonia sobre o mundo”, ressaltando que a “democracia foi convertida em uma arma de destruição em massa”.

Ao mesmo tempo, ele escreveu que os EUA não são um “modelo”, já que sua democracia “se afastou de sua essência”.

Com ameaças e “oferta ridícula”, plano dos EUA para asfixiar Rússia fracassa na Ásia

M’membe ainda acusou os EUA e outros países ocidentais de hipocrisia, já que condenam as ações da Rússia enquanto ignoram seus próprios “crimes mais devastadores” no Vietnã, Iraque, Afeganistão ou Síria, e apoiam as ações de Israel no conflito com a Palestina.

Ele também enfatizou que Washington “manipulou a política interna ucraniana desde que promoveu a mudança de regime em 2014 para o país ficar contra a Rússia”.

“Que nos deixem em paz e se concentrem em acabar com o conflito que provocaram e estão alimentando na Ucrânia. E está claro que, digam o que quiserem e façam o que fizerem, a Ucrânia está caminhando para uma derrota militar e nunca voltará a ser a mesma. Os malabarismos que serão necessários para explicar a iminente derrota da Ucrânia serão algo digno de contemplar”, afirmou.

Redação | Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Trump
À frente em 5 estados-chave, Trump tira de Biden eleitores historicamente democratas
Carles Puigdemont (1)
Sugestão de Puigdemont após eleição na Catalunha cria tensão com governo Sánchez; entenda
Andrei Belousov - Rússia (1)
Rússia: bem-sucedida no front, estratégia militar vai se manter com novo ministro da Defesa
imigrantes-eua
Para agradar republicanos e democratas, Biden aprova medida que facilita expulsão de imigrantes