Pesquisar
Pesquisar

Domingo de eleições na Argentina: brasileiros explicam como estrangeiros votam

Em entrevista ComunicaSul, os votantes Paulo Pereira e Daniele Santos falam sobre regras eleitorais e a ameaça da ultradireita à democracia argentina
Guilherme Ribeiro
Diálogos do Sul Global

Tradução:

Neste domingo (22), a Argentina vai às urnas para o primeiro turno das eleições. Vanessa Martina-Silva e Felipe Bianchi, jornalistas da ComunicaSul, estão nas ruas de Buenos Aires para acompanhar e reportar tudo que está rolando.

No bairro de San Telmo, a reportagem encontrou dois brasileiros, Paulo Pereira e Danielle Santana. Eles votam no colégio Valentín Gomez, local que recebe as cédulas de nativos e estrangeiros.

Leia também: Fascismo não desapareceu na Argentina, estava escondido, avalia Nobel da Paz

Paulo vive no país há 10 anos e explica que quem é de fora ganha o direito de votar depois de dois anos vivendo no território argentino. Além disso, é possível eleger cargos locais, como governador, deputado estadual e comunero (uma espécie de vereador):

“A comunidade brasileira aqui em Buenos Aires é muito importante. São 27 mil brasileiros e brasileiras que estão habilitados a votar nessas eleições”, avalia.

Continua após a imagem

Em entrevista ComunicaSul, os votantes Paulo Pereira e Daniele Santos falam sobre regras eleitorais e a ameaça da ultradireita à democracia argentina

Foto: ComunicaSul
"A gente, que viveu o bolsonarismo no Brasil, destaca esse avanço com muita preocupação”, afirma Daniele Santos

Já Danielle, na Argentina há 7 anos, fala sobre a ameaça à democracia vivida no país e aponta como a ultradireita tem tentando questionar a luta por memória, verdade e justiça em relação à ditadura e minimizar os crimes cometidos pelo regime que assolou o país de 1976 a 1983:

“Temos vivido com muita preocupação o avanço da ultradireita. A gente, que viveu o bolsonarismo no Brasil, destaca esse avanço com muita preocupação”, reforça.

Para saber mais sobre a disputa eleitoral no país, confira nossa editoria especial: Eleições na Argentina.

Guilherme Ribeiro | Jornalista e colaborador na Diálogos do Sul.

A Agência ComunicaSul está cobrindo as eleições de 2023 na Argentina graças ao apoio das seguintes entidades: jornal Hora do Povo, Diálogos do Sul, Barão de Itararé, Portal Vermelho, Correio da Cidadania, Agência Saiba Mais, Agência Sindical, Viomundo, Asociación Judicial Bonaerense, Unión de Personal Superior y Profesional de Empresas Aerocomerciales (UPSA), Federação dos Trabalhadores em Instituições Financeiras do RS (Fetrafi-RS); Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (Sinasefe-RS); Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos; Federação dos Comerciários de Santa Catarina; Confederação Equatoriana de Organizações Sindicais Livres (CEOSL); Sindicato dos Comerciários do Espírito Santo; Sindicato dos Hoteleiros do Amazonas; Sindicato dos Trabalhadores das Áreas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisa, e de Fundações Públicas do Rio Grande do Sul (Semapi-RS); Federação dos Empregados e Empregadas no Comércio e Serviços do Estado do Ceará (Fetrace); Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços da CUT Rio Grande do Sul (Fetracs-RS); Intersindical, Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Central Única dos Trabalhadores do Paraná (CUT-PR); Associação dos Assistentes Sociais e Psicólogos do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (AASPTJ-SP), Federação dos/as Trabalhadores/as em Empresas de Crédito do Paraná (FETEC-PR), Sindicato dos Trabalhadores em Água, Resíduos e Meio Ambiente do Estado de São Paulo (Sintaema-SP); Sindicato dos Trabalhadores em Água, Resíduos e Meio Ambiente do Estado de Santa Catarina  (Sintaema-SC), Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada no Estado do Paraná (Sintrapav-PR), Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp Sudeste-Centro), Sindicato dos Escritores no Estado de São Paulo, Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário Federal de Santa Catarina (Sintrajusc-SC); Sindicato dos Trabalhadores no Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina (Sinjusc-SC), Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judiciário Federal em Pernambuco (Sintrajuf-PE), mandato popular do vereador Werner Rempel (Santa Maria-RS) e dezenas de contribuições individuais.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul



As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Guilherme Ribeiro Jornalista graduado pela Unesp, estudante de Banco de Dados pela Fatec e colaborador na Revista Diálogos do Sul.

LEIA tAMBÉM

Onix Lorenzon representa a extrema direita brasileira
Aliança pela Liberdade: Coalizão conservadora de Eduardo Bolsonaro planeja fortalecer direita na Europa
China-US-and-LATAM-COLLAGE1
Rivalidade EUA-China: o campo de batalha geopolítico em El Salvador reflete o cenário latino-americano
Niegan-libertad-condicional-a-Salvatore-Mancuso
Pânico: Elites colombianas temem que Salvatore Mancuso exponha segredos como massacres, deslocamentos e assassinatos seletivos
Peru
Lei da impunidade: Congresso do Peru aprova lei que beneficia Fujimori e repressores acusados de crimes de lesa humanidade