Pesquisar
Pesquisar

Emir Sader | Após sucesso na Europa, Lula retorna pronto para liderar reconstrução do Brasil

A Europa ficou encantada com Lula. Sua trajetória impressiona, desde suas origens, até seu extraordinário governo, passando pela sua injusta prisão e condenação até chegar ao favoritismo para voltar a ser presidente
Emir Sader
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

O sucesso da viagem do Lula já é uma unanimidade. Não poderia tudo ter ocorrido melhor.

Esteve com o futuro primeiro-ministro da Alemanha, com o presidente da França, com o primeiro-ministro da Espanha, falou para o Parlamento Europeu, além dos contatos individuais com gente como Joseph Stiglitz, François Hollande, José Luís Rodríguez Zapatero, entre tantos outros.

Lula sairá da Europa com sua imagem ainda maior, pelo reconhecimento que teve, mas também pelos discursos que fez, à altura da sua fama de líder mundial da luta contra a fome. Sua dimensão de estadista se fortaleceu ainda mais.

A Europa ficou encantada com Lula. Sua trajetória impressiona, desde suas origens, até seu extraordinário governo, passando pela sua injusta prisão e condenação até chegar ao favoritismo para voltar a ser presidente

Ricardo Stuckert
O ex-presidente Lula durante encontro com o presidente francês Emmanuel Macron

A Europa ficou encantada com o Lula. Sua trajetória impressiona, desde suas origens, até seu extraordinário governo, passando pela sua injusta prisão e condenação até chegar ao favoritismo para voltar a ser presidente do Brasil.

Mas, surpreendentemente, os ecos do sucesso da viagem repercutiram aqui dentro também de forma excepcional. De repente, não apenas as formidáveis imagens da recepção que ele teve pelo presidente Macron foram exibidas reiteradas vezes, como recuperaram sua passagem pela Alemanha, assim como seu discurso ao Parlamento Europeu.

“Não podia aceitar homenagem de um governo que boicota saúde pública”, diz cientista que recusou medalha de Bolsonaro

Não bastasse esse sucesso, o contraponto entre a grotesca viagem do Bolsonaro ao Oriente Médio, com declarações estrambóticas, foi explorado pelos comentaristas, deixando em situação ainda mais difícil o presidente atual do país.

Mas o mais importante foi o reconhecimento consensual dos comentaristas da mídia brasileira não apenas do sucesso – impossível de não reconhecer –, como da grandeza da figura do Lula como estadista, da recuperação da imagem do Brasil no mundo. E outras qualidades, que nunca tinham sido mencionadas.

Houve quem destacasse que o prestígio do Lula vem da memória do seu governo, recordando o nível de apoio com que ele terminou seu segundo mandato. Destacando, pela primeira vez na mídia tradicional, o sucesso dos seus governos no Brasil – tema que a própria mídia promove o esquecimento.

A viagem do Lula à Europa deflagrou, aqui no Brasil, um processo de reconhecimento da dimensão política nacional e internacional do ex-presidente. Comentaristas resistentes ao prestígio do Lula chegam a afirmar que ele é “o líder político mais reconhecido no mundo”. r

A GloboNews e até mesmo a Globo, que vinham timidamente, noticiando a viagem do Lula, tiveram que escancarar, afirmando o sucesso da viagem do Lula e o fracasso da viagem do Bolsonaro. Várias citações dos discursos do Lula na Europa foram reproduzidos literalmente. Em que ele afirma as posições essenciais que pautará seus vários discursos na Europa.

Com o Presidente da França. Na pauta, a urgência climática e questões globais como a fome e a pobreza. Também conversamos sobre o futuro da União Europeia e a integração da América Latina.”

Ele faz o recorde dele: Aras arquivou 98 casos contra Bolsonaro; ABJD leva caso para TPI

“Acredito que os líderes mundiais precisam sentar à mesa para dialogar e enfrentar esses desafios com uma governança global. Dividimos preocupações como o avanço da extrema direita pelo mundo e as ameaças à democracia e aos direitos humanos. Agradeço pela cordial recepção.”

A viagem se deu no mesmo momento em que o ex-juiz Sergio Moro finalmente deu a esperada entrevista ao Pedro Bial na Globonews, reconhecendo que será candidato a presidente do Brasil. Os efeitos da entrevista, que tinha a expectativa de dominar a agenda política, acabaram relegados a um fato menor, diante da dimensão do sucesso do Lula no mundo.

Moro, candidato preferido da mídia, que deveria aglutinar apoio de outros pré-candidatos, terminou sendo mais um candidato da terceira via, que já chega a mais de 11. Ficou na sombra da projeção da viagem do Lula à Europa.

Lula volta ao Brasil pronto para assumir a reconstrução do país, mesmo se ainda temos pela frente mais do que um doloroso e longo ano. A própria mídia nacional terá que se vergar diante do tamanho do Lula no mundo.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Emir Sader

LEIA tAMBÉM

Trump
À frente em 5 estados-chave, Trump tira de Biden eleitores historicamente democratas
Carles Puigdemont (1)
Sugestão de Puigdemont após eleição na Catalunha cria tensão com governo Sánchez; entenda
Andrei Belousov - Rússia (1)
Rússia: bem-sucedida no front, estratégia militar vai se manter com novo ministro da Defesa
imigrantes-eua
Para agradar republicanos e democratas, Biden aprova medida que facilita expulsão de imigrantes