Pesquisar
Pesquisar

Estados Unidos estão aplicando cenário de Revolução Colorida em Cuba, diz ministra da Rússia

"Quando a 'massa crítica' se acumula, a culpa é atribuída ao governo nacional. Ele é rotulado, suas atividades são desacreditadas de todas as maneiras, e dessa forma a situação é levada até o colapso", disse a chanceler
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

Os Estados Unidos estão tentando aplicar em Cuba o cenário de “revolução colorida”, disse nesta quinta-feira (15) Maria Zakharova, representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

“A lógica aqui é simples. Ela já foi testada muitas vezes por Washington em diferentes situações, mas tudo na mesma forma — na instigação de “revoluções coloridas” contra regimes indesejáveis. 

No início contra eles são introduzidas sanções, são criados ou impostos do exterior problemas artificiais, que agravam a situação socioeconômica. Com base nisso, são provocadas tensões e inflamados os sentimentos antigovernamentais”, disse Zakharova.

Sobre o tema

Análise: protestos em Cuba contra governo tiveram ação estrangeira e foram alimentados nas redes por robôs

“E quando a ‘massa crítica’ se acumula, a culpa é atribuída ao governo nacional. Ele é rotulado, suas atividades são desacreditadas de todas as maneiras, e dessa forma a situação é levada até o colapso. O mesmo algoritmo eles estão tentando aplicar agora a Cuba”, acrescentou a representante oficial.

De acordo com ela, “apesar de todas as medidas aplicadas pelas autoridades centrais cubanas para manter a economia do país e ajudar a população, são elas que são acusadas por Washington pela atual crise”.

"Quando a 'massa crítica' se acumula, a culpa é atribuída ao governo nacional. Ele é rotulado, suas atividades são desacreditadas de todas as maneiras, e dessa forma a situação é levada até o colapso", disse a chanceler

Reprodução/ Twitter
Manifestação realizada em Miami, nos Estados Unidos

A diplomata russa disse ainda que, como sempre, os estadunidenses ocultam suas próprias atividades subversivas e intenções conjunturais.

“Sem fazer quaisquer paralelos, gostaria de recordar aos colegas americanos sobre os recentes acontecimentos em sua própria vida política interna. Onde estavam suas preocupações com os valores humanitários, pluralismo político e liberdades democráticas quando por todos os EUA eram capturados os participantes da ‘invasão do Capitólio’ em 6 de janeiro, acusados de ‘terrorismo interno’ e de [ter] visões políticas diferentes e sendo atualmente responsabilizados, inclusive criminalmente?”, questionou Zakharova. 

No domingo passado (11), milhares de cubanos saíram às ruas no país exigindo eleições livres e reformas sociais. De acordo com mídia local, protestos ocorreram em oito cidades cubanas, incluindo Havana. Por sua vez, os apoiadores do governo e do Partido Comunista realizaram suas próprias contramarchas.

Atualmente Cuba está sob um bloqueio comercial dos EUA, imposto na década de 1950. Apesar de tentativas anteriores de normalizar os laços bilaterais, durante a administração Trump Washington endureceu o embargo, aplicando à nação caribenha 243 novas sanções econômicas.

Redação Sputnik Brasil


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Yamandú_Orsi_Pepe_Mujica_Uruguai
Esquerda caminha para retomar progressismo no Uruguai após desmonte de Lacalle Pou
Venezuela_pesquisas
Nada, além de pesquisas duvidosas, indica vitória da oposição na Venezuelanezuela
Venezuela_Censura
Mídia brasileira reproduz fake news sobre “censura” a empresas de telecomunicação na Venezuela
Vanessa-Martina-Silva-Maduro (3)
"Banho de sangue": grande mídia mente descaradamente sobre fala de Maduro, diz jornalista na Venezuela