Pesquisar
Pesquisar

Estados Unidos insiste em ações contra Cuba

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

zunzuneo
A agencia de notícia Associated Press (AP), documentou outro desses planos financiados pela Agencia para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (Usaid)

Uma vez mais se confirmam as reiteradas denuncias do governo cubano sobre os planos subversivos que o governo dos Estados Unidos continua executando contra Cuba.

Declaração da diretora geral de Estados Unidos do Ministério de Relações Exteriores, Josefina Vidal Ferreiro

“Em artigo publicado dia 4 de agosto, em sequencia a uma reportagem feita em abril sobre a ação encoberta “zunzuneo”, a agencia de notícia Associated Press (AP), documentou outro desses planos financiados pela Agencia para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (Usaid), com o objetivo de influenciar negativamente a juventude cubana. O projeto, cuja autoria e execução foi aceita descaradamente pelo governo estadunidense, pretendia converter em atores políticos jovens cubanos previamente identificados por emissários latino-americanos recrutados para esse fim, e organizá-los para atuar contra o governo cubano.

Estes fatos ratificam que o governo dos Estados Unidos não desistiu de seus planos de hostilizar e imiscuir contra Cuba, com a intenção de criar situações de desestabilização para provocar mudanças no ordenamento político para o que dedica milhões de dólares a cada ano.

O governo de Estados Unidos deve cessar de uma vez todas suas ações subversivas, ilegais e encobertas contra Cuba, violadoras de nossa soberania e da vontade expressa do povo cubano de aperfeiçoar nosso modelo econômico e social e consolidar nossa democracia.”

La Habana, 5 de agosto de 2014


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Cuba
EUA tiram Cuba de lista sobre terrorismo: decisão é positiva, mas não anula sanções
19 pontos que comprovam os sucessos de Cuba em direitos humanos nos últimos 5 anos
O que querem Almagro e a OEA em Cuba às vésperas das eleições?
Centenário de Pérez Prado: “!Que rico suena el mambo!”