Pesquisar
Pesquisar

EUA têm capacidade para confrontar armas hipersônicas da Rússia e da China?

Especialistas consideram que os EUA se encontram em uma posição de atraso em relação a Moscou e Pequim no desenvolvimento da tecnologia hipersônica
Redação Sputnik Brasil
Sputnik Brasil
Rio de Janeiro (RJ)

Tradução:

A subsecretária de Defesa para Pesquisa e Engenharia dos EUA, Heidi Shyu, disse que o país não tem planos para alcançar a Rússia e a China no desenvolvimento de armas hipersônicas porque acredita que a corrida neste âmbito é uma “abordagem perdedora”.

Ela esclareceu que neste caso não é uma questão de dificuldade de desenvolver tais armas, mas a racionalidade de participar de uma corrida para desenvolvê-las.

“Não estou interessada em participar de uma corrida com China ou Rússia. A corrida […] é quando você tem 1.000 mísseis, então eu preciso de 1.000 mísseis. É uma abordagem perdedora”, disse subsecretária do Pentágono em um evento on-line.

Ela salientou ainda que as armas hipersônicas permanecem uma área prioritária para os EUA. No entanto, Shyu se recusou a revelar se Washington estava desenvolvendo sistemas de interceptação de armas hipersônicas.

Especialistas consideram que os EUA se encontram em uma posição de atraso em relação a Moscou e Pequim no desenvolvimento da tecnologia hipersônica

Serviço de Imprensa do Ministério da Defesa da Rússia
Os EUA se encontram pela primeira vez em uma posição de atraso no desenvolvimento da defesa

“Infelizmente, tudo isso se refere a uma área classificada”, observou.

Vários especialistas consideram que os EUA se encontram pela primeira vez em uma posição de atraso no desenvolvimento da defesa, o que permitiu que a Rússia e a China avançassem muito na tecnologia hipersônica.

Analistas do portal militar e político dos EUA The National Interest afirmaram que, apesar de todos os esforços e injeções financeiras, Washington continua sofrendo unicamente retrocessos neste domínio, sabendo que as armas hipersônicas são uma das seis tecnologias emergentes e, segundo o Pentágono, poderiam determinar o resultado de futuros conflitos.

“Atualmente, os EUA estão destinando esforços e recursos significativos para alcançar a Rússia e a China na área do hipersom. Washington está desenvolvendo vários programas ao mesmo tempo que, no entanto, progridem com diferentes níveis de sucesso. Mas, em geral, os americanos estão em uma posição de alcançante, uma vez que começaram tarde a trabalhar nisso”, disse em entrevista à RT o especialista militar Vasily Kashin, pesquisador sênior na Escola Superior de Economia da Rússia.

Assista na TV Diálogos do Sul

Entendendo seu atraso, em fevereiro do ano passado o Pentágono tinha anunciado a criação de uma estratégia global para acelerar o desenvolvimento e implantação de armas hipersônicas, bem como de meios de proteção contra tais armas.

Redação Sputnik News


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul.

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Redação Sputnik Brasil

LEIA tAMBÉM

Dmitry-Peskov-Russia
Kremlin: Conferência de Zelensky mostrou à Otan que, sem Rússia, sem acordo
Serguei-Lavrov
O Brics e a maioria global estão dispostos a dialogar com o Ocidente, afirma Lavrov
Armenia_Otan_UE_Rússia
UE e Otan seduzem Armênia exclusivamente de olho em recursos, alerta Rússia
01c91d77-420a-4c95-a57a-54b9ef4c5f24
Armênia-Azerbaijão: fim de Nagorno-Karabakh não é solução para tensões no Sul do Cáucaso