Pesquisar
Pesquisar

Meio milhão de servidores saem às ruas no Reino Unido e vão continuar nos próximos dias

Protesta-se em geral por melhores condições de trabalho e salários face à inflação que atinge os 10,5%
Redação Esquerda.Net
Esquerda.Net
Lisboa

Tradução:

Professores, funcionários públicos, trabalhadores do ensino superior, pessoal do serviço de fronteiras, ferroviários e outros trabalhadores dos transportes. Um universo estimado de meio milhão de pessoas está abrangido pelas várias convocatórias de greves no Reino Unido para esta quarta-feira (1º), sendo considerada a maior nos últimos dez anos.

Este dia é o ponto mais alto de uma luta que dura há vários meses. O ONS, o departamento nacional de estatísticas britânico, contabiliza, entre junho e novembro de 2022, 1,6 milhão de dias de trabalho “perdidos” devido a conflitos laborais. E só em novembro passado foram 467 mil, o que é um número recorde só superado nos últimos tempos pelo ano de 2011.

Cannabrava | Judicialização da política e politicialização da justiça

Protesta-se em geral por melhores condições de trabalho e salários face à inflação que atinge os 10,5%, mas também contra a nova lei das greves. Nesta terça-feira, o Partido Conservador fez aprovar na generalidade no parlamento britânico esta medida que limitará o direito à greve ao colocar a determinação de serviços mínimos nas mãos do governo e obrigará os sindicatos a pagar multas quase estes sejam quebrados.

Protesta-se em geral por melhores condições de trabalho e salários face à inflação que atinge os 10,5%

TV Cultura | Reprodução
Em 17 de fevereiro será a vez dos trabalhadores do British Museum e para 6 de março há já uma convocatória de greve que abrange professores

Ao nível salarial, os professores exigem um aumento de 12% que, alegam, não compensa sequer os 24% que foram perdendo desde 2010 por causa da inflação.

O governo apenas quer aumentar 5%. Aos maquinistas, por sua vez, foi proposto um aumento de 4% pelo ano passado e de outros 4% por este. Mas o acordo é recusado porque implica a aceitação de várias condições compensatórias como a obrigatoriedade de trabalho ao domingo. Pelo menos 15 transportadoras ferroviárias enfrentam a greve nesta quarta-feira, assim como algumas empresas de autocarros.

Já os funcionários públicos foram aumentados em 2%, mas pretendiam 10%, uma vez que o que o governo quer desembolsar os faz perder muito. 124 departamentos estatais serão portanto afetados por esta paralisação.

Roy Cohn: o golpista e protofascista mestre de Trump, Bolsonaro e Bannon

A onda grevista não vai ficar por aqui. Os enfermeiros do Royal College of Nursing, GMB e Unite entram em greve para a semana. Os fisioterapeutas também o farão na próxima quinta-feira e no dia seguinte serão os motoristas de ambulância. A 17 de fevereiro será a vez dos trabalhadores do British Museum. E para 6 de março há já uma convocatória de greve que abrange professores e trabalhadores do NHS, o serviço nacional de saúde britânico.

Ainda não agendada mas já decidida, está uma greve de bombeiros e do pessoal de apoio das salas de controlo. É a primeira vez em 20 anos que entrarão em greve uma decisão votada favoravelmente por 88% num escrutínio com a participação de 73% dos membros. Os trabalhadores rejeitaram um aumento de apenas 5%, sendo que perderam 12% do seu poder de compra desde 2010. Mas dizem-se dispostos a anular a decisão de entrar em greve se num prazo de dez dias as condições forem melhoradas.

Redação Esquerda.Net


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul.
Redação Esquerda.Net

LEIA tAMBÉM

Censura_EUA_livros_aborto
Ultradireita tenta proibir 4,4 mil livros nos EUA e ressuscita lei antiaborto de 1864 no Arizona
Russia_China_cooperacao
China e Rússia ampliam cooperação contra ofensiva do Ocidente na Eurásia
Palestina_fome_Israel_crime_de_guerra
Tática de Israel para matar palestinos de fome é crime de guerra; bebês e crianças choram dia e noite
Lira_Centrao_Legislativo_Executivo
Cannabrava | Parlamentarismo às avessas encurrala o poder Executivo