Pesquisar
Pesquisar

O papa Francisco recebe carta sobre os três cubanos presos nos EUA

Revista Diálogos do Sul

Tradução:

papa-y-cubaO papa Francisco recebeu carta de sensibilização sobre o caso dos três antiterroristas cubanos que ainda estão encarcerados nos Estados Unidos, segundo um comunicado do Comitê Internacional pela Liberdade dos Cinco.

Em audiência com o pontífice, o padre Antonio Tarzia, da Associação Cassiodoro, e o professor Luciano Vasapollo, docente da Universidade La Sapienza, entregaram a carta que pede o retorno a seu país de Gerardo Hernández, Ramón Labañino e Antonio Guerrero, indicou a nota revelada à Prensa Latina.

A carta faz ao papa uma reivindicação, “tem em seu coração uma dramática história conhecida em todo o mundo como é o cso dos Cinco agentes antiterroristas cubanos injustamente detidos nas cárceres estadunidenses”.

5 cubanosHernández, Labañino e Guerrero foram presos em 12 de setembro de 1998, na cidade de Miami, junto a Fernando González e René González, que abandonaram a prisão depois de cumprir a totalidade de suas respectivas sentenças e já se encontram em Cuba.

O texto reitera que a iniciativa busca a sensibilização do pontífice e do Vaticano com a história desses homens, que foram aos Estados Unidos para prevenir atos terroristas contra o povo cubano, planejados com total impunidade por indivíduos e grupos violentos radicados no sul da Florida.

O padre Tarzia e o professor Vasapollo, integrandes do Comit^Internacional, colaboram “desde há algum tempo na campanha em prol de se buscar uma solução para os três cubanos que ainda permanecem presos nos Estados Unidos”, diz o comunicado. Até seis de outubro próximo estará em andamento uma campanha mundial de solidariedade com Gerardo, Ramón e Antonio e contra o terrorismo, com a adesão de mais de 40 países.

Informou Prensa Latina

 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Revista Diálogos do Sul

LEIA tAMBÉM

Cuba
EUA tiram Cuba de lista sobre terrorismo: decisão é positiva, mas não anula sanções
19 pontos que comprovam os sucessos de Cuba em direitos humanos nos últimos 5 anos
O que querem Almagro e a OEA em Cuba às vésperas das eleições?
Centenário de Pérez Prado: “!Que rico suena el mambo!”