Pesquisar
Pesquisar

O que deu errado — e o que "deu certo" — no assalto bolsonarista a Brasília em 08/01

Atenção, cidadãos! O dia 8 de janeiro foi uma tentativa de golpe que falhou. Mas ela pode ter sido apenas e tão somente um ENSAIO GERAL!
Carlos Russo Jr
Diálogos do Sul
Florianóolis (SC)

Tradução:

Todo golpe de Estado somente ocorre por ação daqueles que detêm o poder militar: as forças armadas, polícias militares e milícias armadas.

Queremos hoje, à luz daquilo que já se sabe do criminoso intento, levantar questões fundamentais para o futuro de nossa democracia: o que deu certo e o que deu errado nesta tentativa golpista:

Assista na TV Diálogos do Sul

Deu certo!

  1. Sem que a mão do gato estivesse presente, laranjas e testas de ferro mobilizaram em todo o País milhares de indivíduos baderneiros, desajustados, ressentidos e idiotizados para acamparem por mais de dois meses às portas dos quarteis militares pedindo, implorando e rezando por um golpe militar! Isto deu certo!
  2. Os comandos militares foram não somente permeáveis a estas manifestações em áreas restritas militares, como também foram facilitadores da massa ensandecida, para não dizermos, no mínimo, coniventes! Isto também deu certo!
  3. A Polícia Rodoviária e as PMs da maioria dos estados foram permissivas e coniventes com bloqueios de estradas que pudessem fermentar o caos. Isto também deu certo até o limite em que o desabastecimento poderia colocar a população contra o golpe em gestação. Aí, após quase um mês, as estradas foram desobstruídas.
  4. Os Comandos Militares, na prática, “impuseram” o Ministro Múcio ao governo Lula. E o Ministro por ingenuidade ou por inadvertência, afirmou na semana decisiva de preparação do golpe de estado que os acampamentos em volta dos quarteis eram “democráticos”, “lá estavam amigos e parentes meus”, disse textualmente! E os acampamentos, “ninhos de geração de terroristas” (Ministro Dino) foram crescendo, inchando! Isto também deu certo!
  5. Os enfeitados batalhões dos ditos “dragões da independência”, cuja ÚNICA FUNÇÃO é a segurança e preservação do Palácio da Alvorada, sede do poder e RESIDÊNCIA DO PRESIDENTE e sua família, somente apareceram três horas após a destruição perpetrada! Batalhões que existem para guarda permanente! Isto foi perfeito, deu mais que certo!
  6. O governador Ibanês Rocha era peça chave para o golpe. Colocou o estrategista de Bolsonaro, Anderson Torres, para que este aparelhasse a PM do Distrito Federal e permitiu que ele se ausentasse em férias de um posto que assumira há dias. E assegurou que a segurança do Planalto estava garantida ao recém empossado Ministro Dino. E ele acreditou! Deu certo!
  7. O Comando Militar do Planalto, declarou ao Presidente Lula, no próprio dia 8 de janeiro que já possuía 3.000 homens aquartelados para uma intervenção militar! Ele já sabia que haveria uma tentativa de golpe para ocorrer o aquartelamento?!!!!
  8. Nenhuma arma de fogo foi aprendida pela Polícia com a gentalha que invadiu e destruiu parcialmente os Palácios dos Três Poderes!!!!!!! Espantoso! Acontece que quando houve a debandada pela ação da PM e esta tentou cercar aqueles que se abrigavam debaixo das asas do Exército, tanques de guerra a impediram. Por que??? Para permitir que os comando armados escondessem suas armas? Para a possível fuga? Também deu certo!
  9. O golpe de Estado queria apenas preservar as estruturas físicas dos prédios. Os golpistas sabem que nada atrai mais a multidão que o fogo, como fizeram no Parlamento Alemão em 1934, no La Moneda em 1973, e em tantos momentos nas manifestações de 2013 e 2016! No entanto, nenhum dos terroristas, que fogo haviam colocado nas rodovias, tentou queimar os Palácios! Ação articulada que deu certo!
  10. Não houve uma única manifestação antiterrorista por parte das FFAA. Também deu certo!
Atenção, cidadãos! O dia 8 de janeiro foi uma tentativa de golpe que falhou. Mas ela pode ter sido apenas e tão somente um ENSAIO GERAL!

Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil
Atenção Cidadão: o golpismo não foi derrotado!!! Está vivo em Miami, em boa parcela da oficialidade das PMs

Deu errado!

Mas muitas coisas não deram certo e o Golpe de 8 de janeiro deu errado!

  1. O Presidente Lula e sua esposa não estavam no Planalto no dia 8. Talvez tivessem sido assassinados, tal qual ocorreu com o Presidente Salvador Allende em 1973. Deu errado para os golpistas!
  2. A mobilização dos bolsonaristas civis e paramilitares fora de Brasília foi pífia, com algumas interrupções de trânsito e ameaças a refinarias. Deu errado!
  3. A derrubada das torres de energia elétrica não levou a apagão algum. Deu errado!
  4. A reação corajosa e correta do Presidente do Brasil, que recusou passar o poder da ordem pública para os Militares (aliás solução defendida pelo golpista e atual senador, general Mourão), mas interviu na segurança do Distrito Federal.Deu errado para os golpistas!
  5. A parcela profissional e ética da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal conseguiu, em uma semana, se impor à parcela bolsonarista pró-golpe. Deu errado!
  6. A imediata reação do Ministro Alexandre de Morais ao impor o anteparo da lei às atividades criminosas, embora esperada pelos golpistas, foi muito mais fundo e rápido (prisão de ex-chefe da PM do DF, do ex- ministro da Justiça, etc..) que os golpistas esperavam. Deu errado!
  7. O posicionamento corajoso e de ESTADISTA de Lula, assumindo um palácio semidestruído e congraçando em defesa da democracia todos os poderes, até mesmo governadores bolsonaristas! Isto deu errado!
  8. A reação internacional contrária ao golpe surgiu e cresceu de leste a oeste, de norte a sul! Também deu errado!

Mas Atenção Cidadão: o golpismo não foi derrotado!!! Está vivo em Miami, em boa parcela da oficialidade das PMs, em quarteis das forças armadas, na parcela mais idiotizada e manipulável de nossa população, em setores importantes da classe média!

Em 1973, o governo de Salvador Allende, que possuía a seu lado parcela das forças armadas comandadas pelo general Carlos Prates, conseguiu debelar uma tentativa de golpe cívico-militar no mês de junho de 1973. Allende optou por apaziguamento com as forças armadas; aceitou a renúncia de Prates e nomeou Pinochet comandante do Exército. Sabemos perfeitamente o que ocorreu em setembro de 1973!

* Referência: Moniz Bandeira, Fórmula para o Caos. A derrubada de Salvador Allende. Ed. Civilização Brasileira.

Carlos Russo Junior | Colaborador da Diálogos do Sul


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Carlos Russo Jr Carlos Russo Jr., coordenador e editor do Espaço Literário Marcel Proust, é ensaísta e escritor. Pertence à geração de 1968, quando cursou pela primeira vez a Universidade de São Paulo. Mestre em Humanidades, com Monografia sobre “Helenismo e Religiosidade Grega”, foi discípulo de Jean-Pierre Vernant.

LEIA tAMBÉM

Lula
Frei Betto | Para Lula, momento exige maior sintonia entre governo e movimentos sociais
Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização