Pesquisar
Pesquisar

Omissão do Poder Público e tempestade fazem vítimas em Manaus; 4 crianças morrem

Metade dos mortos pertencia a uma mesma família; os corpos de uma mãe e sua filha foram encontrados abraçados sob os escombros
Redação Rede Brasil Atual
Rede Brasil Atual
São Paulo (SP)

Tradução:

Pelo menos oito pessoas morreram após um deslizamento de terra atingir ao menos 11 casas na Comunidade Nova Floresta, no bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus. De acordo com as autoridades, foram encontrados os corpos de quatro pessoas adultas e de quatro crianças. Uma pessoa chegou a ser resgatada com vida, mas não resistiu aos ferimentos. 

Metade das vítimas pertencia a uma mesma família. Os corpos de uma mãe e sua filha foram encontrados abraçados sob os escombros.

São Sebastião: Bolsonaro reduziu em até 95% verba destinada a prevenção de desastres

O desastre ocorreu após fortes chuvas que caíram no início da noite do domingo (12) na capital do Amazonas. A prefeitura de Manaus informou que as casas atingidas pelo deslizamento de terra foram construídas na parte debaixo de um barranco.

As buscas seguiram ao longo da madrugada desta segunda-feira (13), mas foram encerradas pelos bombeiros na manhã, baseados na informação de que não havia mais vítimas soterradas.

Há, contudo, previsão de mais chuvas para as próximas horas em Manaus. O prefeito David Almeida (Avante) informou que a região onde ocorreu o desmoronamento é de alto risco e há mais de 62 áreas nessa mesma situação na capital manauara.

Metade dos mortos pertencia a uma mesma família; os corpos de uma mãe e sua filha foram encontrados abraçados sob os escombros

Rede Brasil Atual
Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura, chuvas intensas e concentradas tornam as encostas de Manaus suscetíveis a deslizamentos

Audiência com Lula

Em entrevista no local do acidente, David Almeida afirmou que trabalha para evacuar a área e retirar os moradores do local. Ele ainda confirmou que terá uma audiência, nesta terça (14) com o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), para discutir os problemas das áreas de risco.

O encontro foi marcado pelo coordenador da bancada do Amazonas no Congresso Nacional, o senador Omar Aziz (PSD). 

1 ano após tragédia, negligência do poder público ainda castiga população de Petrópolis

O prefeito também quer pleitear recursos da União para reforçar as ações de enfrentamento. “Nós temos mais de mil áreas como essa em Manaus. E, dessas mil áreas, 62 são de alto risco, como essa aqui.

Agora, buscamos mais investimentos para investir nessas áreas e dar moradia digna para as pessoas”, alegou. O governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), também foi ao local para acompanhar os trabalhos de socorro. 

A Secretaria Municipal de Infraestrutura divulgou nota apontando que as chuvas intensas e concentradas tornam as encostas de Manaus suscetíveis a deslizamentos.

E que o aumento repentino no volume de água recebido pelo solo íngreme provoca o encharcamento do talude e a consequência são os deslizamentos de terra. 

Redação | Rede Brasil Atual
Com g1 e Folha de S.Paulo


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Rede Brasil Atual

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Rio-Grande-do-Sul-emergencia-climatica
Além do RS: América do Sul teve outros 3 eventos climáticos extremos apenas em 2024
Quenia-inundações
Inundações no Quênia matam 238 pessoas; governo ignorou alertas meteorológicos