Pesquisar
Pesquisar

Auxílio Brasil: mais de 500 mil famílias estão sem o “Bolsa Família” de Bolsonaro

Número de pessoas em situação de extrema pobreza aumentou durante o atual governo federal e é o maior já registrado no Cadastro Único
Marcelo Hailer
Revista Fórum
São Paulo (SP)

Tradução:

Desde que foi anunciado, o programa Auxílio Brasil – que substituiu o Bolsa Família -, é marcado por incertezas e falhas em sua execução. E os erros continuam.

Neste momento há 526 mil famílias brasileiras que vivem na extrema pobreza e que entraram no cadastro federal e que estão à espera de entrada no programa Auxílio Brasil, porém, não há garantia e nem previsão de quando irão receber o benefício.

De acordo com levantamento do UOL, entre novembro e dezembro de 2021, o governo Bolsonaro recebeu a inscrição de cerca de 1.104.069 milhão de famílias no Cadastro Único.

Relembre:
Por novo Bolsa Família, Bolsonaro rifa Guedes, mas visa reeleição e não combate a fome e a miséria

Além de mais de meio milhão de famílias em situação de extrema pobreza, há outras 165.199 em situação de pobreza, ambas estão elegíveis para receber o Auxílio Brasil.

Número de pessoas em situação de extrema pobreza aumentou durante o atual governo federal e é o maior já registrado no Cadastro Único

Montagem Diálogos do Sul
Muitas pessoas ficaram de fora da transição do Bolsa Família para Auxílio Brasil

Mas, como o governo federal não divulga um balanço mensal de quantas famílias saíram do programa e quantas entraram, não é possível saber exatamente o número daquelas já cadastradas e que ainda estão no aguardo de receber o benefício. 

Ao UOL, o Ministério da Cidadania declarou que a inclusão no Auxílio Brasil depende de algumas condições e não ocorrerá de forma automática e que também depende de disponibilidade orçamentária.

Leia também
Dowbor: com novo capitalismo, Guedes dorme tranquilo enquanto 4 milhões de crianças passam fome

Em tese, as famílias que vivem em situação de extrema pobreza têm prioridade na inclusão do programa e deveriam ser beneficiadas imediatamente. Por sua vez, as famílias em situação de pobreza têm direito se tiverem gestantes, nutrizes ou pessoas com até 21 anos que concluíram a educação básica ou que estejam matriculadas.

A espera do Auxílio Brasil

Três milhões de famílias foram incluídas no programa em janeiro e o governo federal chegou a anunciar que tinha zerado a fila de espera.

Porém, o governo Bolsonaro usou dados de referência de meses anteriores ao Auxílio Brasil e as famílias que conseguiram entrar recentemente no cadastro estão sem previsão de quando vão receber o benefício.

E, pelo menos por hora, não há sinais de que estas famílias que aguardam pelo benefício vão recebê-lo, pois, com o orçamento aprovado para 2022 de R$ 89,1 bilhões não há espaço para ampliar o número de beneficiários.

O número de famílias em situação extrema pobreza aumentou ao longo do governo Bolsonaro e, em dezembro de 2021, registrou o maior número da história do Cadastro Único: 15,5 milhões.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 

Telegram


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Marcelo Hailer

LEIA tAMBÉM

Lula-RS-Brasil (2)
Nas mãos de Lula, caos no RS é sequela do bolsonarismo: desmonte ambiental e fake news
mães - palestina
Dia das Mães: algumas mães só querem a paz de presente, lembra ato pró-Palestina em Brasília
RS - inundações
Chamado à solidariedade internacionalista: inundação no RS demanda mobilização
Lula - 1 de maio
Cannabrava | Lula se perdeu nos atos de 1º de maio