Pesquisar
Pesquisar

EUA estimulam tráfico de atletas: Cuba denuncia uso político do beisebol

O Instituto Cubano de Esportes declarou que a desqualificação do vínculo contratual entre as partes impede que seus jogadores realizem seus sonhos através da rota natural
Redação Pátria Latina
Prensa Latina
Havana

Tradução:

Cuba reiterou, nesta terça-feira (28), que o promotor da fuga de seus jogadores de beisebol para o exterior é o governo dos EUA. A declaraçaõ ocorreu após o cancelamento de um acordo entre a federação nacional e a MLB pela administração de Donald Trump.

A acusação veio depois que seis dos jogadores de beisebol representando o país caribenho no Campeonato Mundial Sub-23 no México deixaram as fileiras da equipe, que ainda está na luta para avançar para a segunda fase do evento.

A este respeito, o site oficial do Instituto Cubano de Esportes declarou que a desqualificação do vínculo contratual entre as partes impede que seus jogadores realizem seus sonhos através da rota natural, que está disponível para o resto dos países.

Nessa linha, acrescenta que a medida do então governo de Donald Trump (2017-2021) estimula o tráfico de atletas em defesa de interesses políticos, alheios ao bem-estar e à tranquilidade da família cubana.

O Instituto Cubano de Esportes declarou que a desqualificação do vínculo contratual entre as partes impede que seus jogadores realizem seus sonhos através da rota natural

Prensa Latina
Instituto Cubano de Esportes

Enquanto isso, o site da Federação local (FCB) da disciplina afirma que as retiradas são expressões concretas derivadas da controversa e injusta decisão dos EUA.

Vamos escolher políticas que destruíram planeta ou solidariedade?, indaga Cuba na ONU

”Sem dúvida, é um obstáculo difícil para a gerência e para a equipe. Não é fácil manter uma mentalidade vencedora quando este tipo de coisa acontece no meio de uma competição. Nosso total apoio à equipe, estamos com você”, disse a declaração da FCB.

Apesar dos obstáculos, a equipe treinada pelo ex-batedor Eriel Sánches, tem duas vitórias e uma derrota para dividir o segundo lugar do Grupo A com a República Dominicana, ambos a meio jogo do anfitrião México, dono de três vitórias e uma derrota.

Nesta segunda-feira, o sucesso antilhano dependerá do arremessador destro José Eduardo Santos para enfrentar a República Tcheca em busca de uma terceira vitória no torneio a ser realizado nas cidades mexicanas de Obregon e Hermosillo até 2 de outubro.

Redação Prensa Latina


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

 

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Pátria Latina

LEIA tAMBÉM

Cuba
EUA tiram Cuba de lista sobre terrorismo: decisão é positiva, mas não anula sanções
76a8901f-0233-449f-86af-70fbd36aa70f
Como tráfico de armas a partir dos EUA alimenta altas taxas de homicídio no Caribe
c600a324-a232-4428-a936-6c4b7a2fe9e8
Além de usurpar recursos, EUA aparelham Peru para minar relações com China e Rússia
bfc59549-46d5-45f8-84c7-b0d3e6d92ea3
Sanções, migração e petróleo: como relações com Venezuela impactam eleições nos EUA