Pesquisar
Pesquisar

Imunização mundial contra Covid-19 ganha força com exigência de vacinas para viagens e volta do home office

Muitas empresas só autorizam o retorno aos escritórios se seus funcionários estiverem com o imunizante contra a doença no ombro
Claudia Dupeirón García
Prensa Latina
Havana

Tradução:

Depois da pandemia de Covid-19 – contando-se que seus desdobramentos serão próximo – deve aparecer nos milhares de modelos de curriculum vitae, solicitações de universidades ou passaportes, uma seção onde para responder ‘Você está vacinado contra essa doença?’.

De protestos para que governos invistam na compra de mais doses ou para que não os considerem obrigatórios, aos passaportes digitais Covid-19, o mundo está dividido em 2021 entre vacinados e não vacinados; quando há um ano estava entre infectados e saudáveis. Assim, muitas empresas só autorizam o retorno aos escritórios se seus funcionários estiverem com o imunizante contra a doença no ombro.

Google, Netflix, Facebook, The Washington Post e muitos outros exigem, além de funcionários eficientes, trabalhadores vacinados.

Muitas empresas só autorizam o retorno aos escritórios se seus funcionários estiverem com o imunizante contra a doença no ombro

Montagem Diálogos do Sul
Google, Netflix, Facebook e outras empresas exigem a vacinação de seus funcionários para voltar ao escritório.

De acordo com vários meios de comunicação dos EUA, o CEO do Google, Sundar Pichai, enviou um e-mail para a equipe na última semana de julho anunciando a necessidade da vacina para aqueles que retornarem ao escritório. A vice-presidente de recursos humanos do Facebook, Lori Goler, anunciou que, à medida que os escritórios forem reabertos, eles exigirão que todos trabalhem vacinados.

Segundo a CNN, a Netflix solicita vacina para os elencos de todas as suas produções estadunidenses, bem como para as pessoas que entram em contato com elas.

Mas esses são apenas alguns exemplos de empresas famosas. Em muitos países, o visto é vital, mas o passe da Covid-19, mais ainda; alguns estados até pagam por isso.

Na Europa, e apesar dos protestos em várias nações, a estratégia não é muito diferente.

Por exemplo, na Áustria, a entrada em restaurantes, teatros, hotéis, instalações esportivas e locais de higiene pessoal exige uma prova de vacinação, um teste negativo para o vírus ou um certificado de recuperação da Covid-19.

Por sua vez, o presidente francês Emmanuel Macron postou no dia 2 de agosto um vídeo nas redes sociais Instagram e Tik Tok, no qual promete responder às dúvidas de qual é setor etário da vacinação, e sobre a doença afirma que a vacina é ‘a única arma’ contra a nova onda de Covid-19 que este país enfrenta com cerca de 25 mil novos casos diários.

Outras regiões do velho continente variam suas necessidades de acordo com cada estado ou província; Mas de uma forma geral e ampla, são crescentes as solicitações de admissão de resultado negativo de teste para detecção do SARS-CoV-2 ou de certificado de vacinação em diferentes espaços.

No Japão, sede dos atuais Jogos Olímpicos, caracterizados por rígidas medidas sanitárias contra o coronavírus, as autoridades começaram a emitir passaportes de vacinação no final de julho.

A Coreia do Sul, a partir de 1º de julho, passou a permitir a entrada de estrangeiros sem a necessidade de quarentena, mas com a condição de demonstrar que estão inoculados com ambas as doses (se for o caso) do imunizante anti-Covid-19 homologados pela Organização Mundial de Saúde.

Desde 2020, os chineses popularizaram os códigos QR de saúde (resposta rápida) entre seus mais de 1,3 bilhão de habitantes, que se tornou uma espécie de passaporte-saúde, um salvo-conduto que indica se o portador está com saúde ou se nos últimos dias visitou lugares de alto risco.

Deste lado do mundo, a situação começa a ter os mesmos sintomas, tal como acontece com esse coronavírus.

O secretário da Secretaria de Saúde de Porto Rico, Carlos Mellado, anunciou recentemente medidas preventivas contra a Covid-19 antes do início do semestre letivo, especificamente a vacinação obrigatória para alunos de 12 anos ou mais.

Os viajantes que entram no Panamá desde maio devem apresentar seu teste negativo para Covid-19 por meio de um passaporte digital criado pela Associação Internacional de Transporte Aéreo. O mesmo acontece no Chile e em muitos outros países da região. Mais de sete meses após o início da vacinação contra a Covid-19, de acordo com o site de estatísticas internacionais Our World in Data, apenas 28% da população mundial recebeu pelo menos uma dose da vacina Covid-19 e 14,4% estão totalmente vacinadas.

Apesar do fato de que a lista dos ‘A favor ‘e ‘Contra’ é interminável e cada país tem suas próprias regras, a verdade é que a imunização nem sequer depende mais de recursos monetários, de acesso equitativo ou da decisão de cada um.

No entanto, ser vacinado é uma das maneiras mais seguras de derrubar a Covid-19. Os cientistas dizem isso todos os dias e, aparentemente, com as leis, isso será cumprido.


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na Tv Diálogos do Sul

   

Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Claudia Dupeirón García

LEIA tAMBÉM

Crise-drogas-EUA
EUA culpam cartéis do México por crise de drogas entre estadunidenses
Laura Richardson - Peru
Rio Amazonas em risco: o que se sabe sobre laboratórios biológicos dos EUA no Peru
gravidez precoce argentina
Programa que cortou pela metade gravidez precoce na Argentina pode desaparecer sob Milei
Vacina_russa_Putin
Rússia deve finalizar vacina contra o câncer em breve, diz Putin