Pesquisar
Pesquisar

Israel desenvolve projetos rodoviários para anexar Jerusalém e isolar palestinos

Segundo especialista, governo israelense utiliza termos como “desenvolvimento e melhoria de serviços” para evitar críticas internacionais
Redação Prensa Latina
Prensa Latina
Ramallah

Tradução:

As autoridades israelenses destinaram 1 bilhão de shekels (equivalente a mais de R$ 1,6 bilhão) para projetos de infraestrutura rodoviária que visam ligar os assentamentos de Jerusalém Oriental com o resto do país, denunciou hoje Fakhri Abu Diab, pesquisador de assuntos de Jerusalém, à agência de notícias Safa.

O governo de ocupação usa suas enormes capacidades financeiras para controlar mais terras palestinas na metrópole e mudar seu mapa demográfico, disse Abu Diab. Ele ressaltou que para isso utilizam termos como “desenvolvimento e melhoria de serviços” a fim de evitar críticas internacionais.

O plano visa sitiar e separar as comunidades palestinas, restringir a circulação de moradores e fragmentar os bairros árabes, estabelecendo ferrovias e rodovias ligando os assentamentos, ressaltou. Nesse sentido, ele enfatizou que os palestinos estavam confinados a apenas 13% da cidade.

Segundo especialista, governo israelense utiliza termos como “desenvolvimento e melhoria de serviços” para evitar críticas internacionais

Shabatashtiot / Wikimedia Commons
Rodovia israelense: O plano visa sitiar comunidades palestinas, restringir a circulação de moradores e fragmentar bairros árabes

As autoridades municipais israelenses não concedem aos árabes nenhum espaço ou permissão para construir, embora o contrário aconteça com os judeus, alertou.

O exército israelense ocupou Jerusalém Oriental na guerra de 1967 e, desde então, sucessivos governos em Tel Aviv se recusaram a se retirar, apesar das resoluções do Conselho de Segurança da ONU, enquanto intensificavam a colonização na área.

Prensa Latina — Direitos reservados


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

       Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Prensa Latina

LEIA tAMBÉM

Paris
Da Porte de la Villette à Bastille: uma jornada pela cultura e modernidade de Paris
Prancheta 55
Reino Unido decide expulsar mais de 50 mil pessoas solicitantes de asilo para Ruanda
Palestina-EUA-Israel
EUA tentam se safar! Israel usa, sim, armas estadunidenses para matar palestinos em Gaza
Bandeira-Geórgia
Geórgia: lei sobre “agentes estrangeiros” aumenta tensão entre governo e oposição