Pesquisar
Pesquisar

Para desenvolver vacina, Cuba trabalhou com três pilares fundamentais. Entenda:

Colocar especialistas mais capacitados na vanguarda de cada tarefa, para que o progresso seja mais rápido e eficiente é uma delas
Redação Brasil 247
Brasil 247
São Paulo (SP)

Tradução:

O diretor de Investigações do Finlay Vaccine Institute, da capital cubana, Dagmar García, afirma que o país tem plataformas tecnológicas em condições de realizar pesquisas para a produção da vacina contra a Covid-19.  

Temos capacidade produtiva para assumir a posterior introdução de qualquer vacina bem-sucedida no país, disse o especialista à televisão cubana. Existem alguns projetos mais avançados do que outros. O caminho que estamos percorrendo é promissor, enfatizou García.

Os resultados laboratoriais são satisfatórios e temos a responsabilidade de informar as pessoas sobre o andamento das etapas, acrescentou.

Colocar especialistas mais capacitados na vanguarda de cada tarefa, para que o progresso seja mais rápido e eficiente é uma delas

Pixabay
O caminho que estamos percorrendo é promissor, enfatizou o diretor de Investigações do Finlay Vaccine Institute, da capital cubana.

O pesquisador disse que a Cuba trabalha com uma estratégia baseada em três pilares fundamentais. A primeira delas é colocar os especialistas mais capacitados na vanguarda de cada tarefa, para que o progresso seja mais rápido. Parcerias com outros centros de pesquisa é outro passo importante nessa empreitada. Nesse sentido, exemplificou o trabalho conjunto com a Faculdade de Química da Universidade de Havana, o Centro de Imunologia Molecular, o Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia e o Laboratório de Defesa Civil, disse.

Em terceiro lugar, conceber as possíveis vacinas com base nas plataformas tecnológicas utilizadas no país para a obtenção de outros produtos desse tipo, informa a Rádio Relógio de Cuba. 

Vacina russa

O chefe do Fundo Russo para Investimentos Diretos, Kiril Dmitriev, disse que seu país poderia coordenar a produção em Cuba da vacina Sputnik V em novembro próximo.

Cuba tem uma grande capacidade de produção de medicamentos e, especificamente, vacinas, com pessoal altamente qualificado, pelo que poderíamos coordenar com o governo daquele país o início da produção da vacina ainda em novembro próximo, afirmou Dmitriev.

Em videoconferência com diversos meios de comunicação, ele elogiou a preparação científica de Cuba e seu trabalho na luta contra a pandemia, após anunciar no mês passado que o fundo poderia cooperar com a ilha para produzir em conjunto medicamentos contra a Covid-19.

Veja também


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.
Redação Brasil 247

LEIA tAMBÉM

Crise-drogas-EUA
EUA culpam cartéis do México por crise de drogas entre estadunidenses
Laura Richardson - Peru
Rio Amazonas em risco: o que se sabe sobre laboratórios biológicos dos EUA no Peru
gravidez precoce argentina
Programa que cortou pela metade gravidez precoce na Argentina pode desaparecer sob Milei
Vacina_russa_Putin
Rússia deve finalizar vacina contra o câncer em breve, diz Putin