Pesquisar
Pesquisar

Pela primeira vez, podemos ter governo alternativo, diz presidente da CUT Colômbia

Intensa mobilização social de 2019 permitiu que problemas sociais fossem postos a nu e mostrar que líderes de direita não têm capacidade de resolvê-los
FCINA
Diálogos do Sul Global
São Paulo (SP)

Tradução:

Para o presidente da Central Única de Trabalhadores da Colômbia (CUT), Francisco Maltés, a intensa mobilização social de 2019, conhecida em espanhol como “estallido social”, permitiu que os problemas sociais fossem postos a nu no país. 

Maltés ofereceu uma entrevista exclusiva aos jornalistas do Fórum de Comunicação para a Integração de Nossa América (FCINA), na qual abordou os dilemas dos trabalhadores de seu país e as perspectivas para superá-los.

Ele destaca que a partir da revolta popular, ficou evidente a incapacidade dos governos de direita em resolver os problemas da população, razão pela qual considera que as condições são propícias para a chegada de um governo alternativo e democrático na Colômbia.

Há décadas, a população colombiana vem sofrendo vários flagelos, incluindo guerra interna, deslocamento forçado, concentração obscena de riqueza, assassinato impune de líderes, corrupção, tráfico de drogas e interferência militar e diplomática por parte dos Estados Unidos, revela.

Intensa mobilização social de 2019 permitiu que problemas sociais fossem postos a nu e mostrar que líderes de direita não têm capacidade de resolvê-los

Oxi.Ap – Medellín / Wikimedia Commons
Há décadas, a população colombiana vem sofrendo vários flagelos como guerra interna, deslocamento forçado e concentração obscena de riqueza

Por outro lado, o empobrecimento em massa, a insegurança no emprego, o desemprego, a insegurança alimentar, as pandemias e a contínua violação dos direitos humanos aprofundaram dramaticamente a crise estrutural do país.

Neste contexto, a Colômbia enfrenta eleições legislativas e presidenciais decisivas em março e maio.

Existe uma saída para a crise social e política na Colômbia?

Confira o artigo completo em espanhol aqui.

Veja o vídeo da entrevista completa na TV Diálogos do Sul

Fórum de Comunicação para a Integração de Nossa América (FCINA)


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:

  • PIX CNPJ: 58.726.829/0001-56 

  • Cartão de crédito no Catarse: acesse aqui
  • Boletoacesse aqui
  • Assinatura pelo Paypalacesse aqui
  • Transferência bancária
    Nova Sociedade
    Banco Itaú
    Agência – 0713
    Conta Corrente – 24192-5
    CNPJ: 58726829/0001-56

Por favor, enviar o comprovante para o e-mail: assinaturas@websul.org.br 

Veja o vídeo completo da entrevista:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

FCINA

LEIA tAMBÉM

Onix Lorenzon representa a extrema direita brasileira
Aliança pela Liberdade: Coalizão conservadora de Eduardo Bolsonaro planeja fortalecer direita na Europa
China-US-and-LATAM-COLLAGE1
Rivalidade EUA-China: o campo de batalha geopolítico em El Salvador reflete o cenário latino-americano
Niegan-libertad-condicional-a-Salvatore-Mancuso
Pânico: Elites colombianas temem que Salvatore Mancuso exponha segredos como massacres, deslocamentos e assassinatos seletivos
Peru
Lei da impunidade: Congresso do Peru aprova lei que beneficia Fujimori e repressores acusados de crimes de lesa humanidade