Agência Parlasul

Incêndios na Amazônia são tema central de debate no plenário do Parlasul no Uruguai

Sessão também aprovou declaração de repudio a política migratória do governo dos Estados Unidos

Nesta segunda-feira, 26 de agosto, o Parlamento do Mercosul se reuniu na cidade de Montevidéu, Uruguai, para sua LXVI Sessão Ordinária. A situação atual dos incêndios na Amazônia foi o tema central de debate no Plenário.

Neste sentido, o Parlamentar argentino Gabriel Fidel apresentou uma Proposta que Declara a Emergência Ambiental para a Amazônia.

Esta declaração considera que a atual situação de crise ambiental na Amazônia é uma das piores catástrofes vividas na região. Recomenda que o Conselho do Mercado Comum (CMC) crie um Comitê Ambiental do Mercosul e um Sistema Regional de Gestão Integrada de Riscos para Prevenção, Planejamento, Preparação e Atenção à ocorrência potencial de emergências e desastres.

Agência Parlasul
Situação de crise ambiental na Amazônia é uma das piores catástrofes vividas na região.

O autor da proposta aprovada, Gabriel Fidel, afirma que "o que aconteceu na Amazônia envolve muitos países latino-americanos e estamos todos preocupados. Por sua vez, a deputada Fernanda Gil Lozano, responsável por fazer modificações à Declaração, destaca que: "a Amazônia é um patrimônio da humanidade e está em chamas neste momento. Não é do meu interesse interferir na soberania brasileira.

Da mesma forma, o Parlamentar Arlindo Chinaglia argumenta que: "se a Amazônia seguir sendo destruída, faltará chuva para a agricultura brasileira. É ilusório imaginar que permitir a destruição vai gerar riqueza, não vai. O fogo é o último passo do desmatamento. O diretor do INPE, quando ele alertou, foi demitido pelo governo. Devemos trabalhar junto com os demais Parlamentos regionais que tem em seu território a floresta Amazônica".

No entanto, o Parlamentar brasileiro Telmario Mota, afirma que "neste momento que aflinge a nossa população, é uma campanha organizada pela mídia e um processo ideológico radical com relação as queimadas na Amazônia. O povo brasileiro tem condições de cuidar da Amazonía e ela não corre risco".

Do mesmo modo, o deputado delegado Waldir defende que "a imprensa tem trazido no momento muita desinformação e o Brasil não abre mão da sua soberania em relação a Amazônia. Não vamos permitir a interferência internacional na Amazônia. As queimadas acontecem naturalmente de julho a agosto. O Brasil não vai permitir uma armação política para prejudicar o nosso agronegócio".

Esta sessão também aprovou uma Declaração pela qual o PARLASUR repudia a política migratória do governo dos Estados Unidos de separar os menores de seus pais quando chegam aos Estados Unidos solicitando asilo, uma Recomendação que recomenda a implementação no Mercosul de um Acordo Geral sobre Normas Fitossanitárias que contribuam para um Status Fitossanitário e outra que recomenda que o CMC harmonize a educação superior de pós-graduação no Mercosul.

O Parlamento do Mercosul também aprovou uma Declaração de Interesse Ambiental o VIII simposio iberoamericano de engenharía em residuos, e a jornada legislativa sobre residuos de equipamentos elétricos e electrônicos.

Por fim, os seguintes brasileiros tomaram posse como Parlamentares do Mercosul: Angelo Coronel, Dr. Jaziel e Sanderson.

Veja também

Comentários