Pesquisar
Pesquisar

Lula ultrapassa Bolsonaro no YouTube e TikTok

O estudo foi feito com as métricas de engajamento e alcance dos perfis dos dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas
Altamiro Borges
Blog do Miro
São Paulo (SP)

Tradução:

O mês de agosto registrou uma importante vitória da candidatura de Lula nas redes sociais. Ela finalmente conseguiu quebrar a hegemonia do “capetão” em plataformas de vídeos como YouTube e TikTok. O levantamento foi feito pela Escola de Comunicação, Mídia e Informação da Fundação Getúlio Vargas (FGV-ECMI), a pedido da Folha de S.Paulo.

Segundo relato do jornal, “com apelo emocional – como o discurso em que Lula diz que quer ‘garantir que toda criança tenha um café da manhã para tomar’ – e vídeos de malhação com a legenda ‘partiu pós-treino’, o petista ultrapassou o presidente na rede chinesa de microvídeos, o novo pilar das campanhas de internet nesta eleição. No YouTube, a campanha também tem impulsionado vídeos com anúncios, o que tem gerado mais visualizações”.

O estudo foi feito com as métricas de engajamento e alcance dos perfis dos dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas. Abarcou o período de 28 de julho a 29 de agosto. Como registra a Folha, “Bolsonaro tem mais seguidores em todas as redes, legado da persona digital trabalhada há anos com o auxílio do filho Carlos Bolsonaro. Esse número não significa, contudo, que seus conteúdos alcancem mais pessoas, como mostram os dados da FGV”.


Fascista ainda lidera no Facebook e Instagram

Em engajamento, o fascista ainda lidera no Facebook e no Instagram, com quase o triplo de compartilhamentos, curtidas, comentários e reações na comparação com Lula. No Twitter, embora com distância menor, ele segue na frente. “Por outro lado, Lula explodiu no YouTube e TikTok, sendo que nesta última ele criou o perfil oficial apenas em junho. A campanha designou uma pessoa para cuidar dessa rede. No YouTube, está investindo em publicidade”.

Leia também: Do triplex no Guarujá ao “Ministrão”: Relembre os 26 processos que Lula já venceu na justiça

A Folha analisou os conteúdos em cada plataforma. O vídeo mais viral do canal de Lula do TikTok foi no período de um comício em Minas Gerais. “Quero ver vocês alegres, quero ver vocês trabalhando, quero ver vocês estudando, quero ver vocês amando, gostando da vida”, discursa o líder petista. Outras publicações virais tratam da fome e do legado do seu governo. Nos vídeos, Lula se apresenta como um político do povo, em tom bem afetivo.

Já os conteúdos de Bolsonaro com maior tração exibem ataques à esquerda e à imprensa. No TikTok, apenas seis passam de 2 milhões de visualizações em agosto; três são recortes da entrevista ao Jornal Nacional. “A produção mais popular, com 6 milhões de visualizações, exibe a palavra ‘mentira’ quando a âncora Renata Vasconcellos diz que ele estava ‘imitando pessoas com falta de ar’ na pandemia”, descreve o jornal.

O estudo foi feito com as métricas de engajamento e alcance dos perfis dos dois candidatos mais bem colocados nas pesquisas

Reprodução – Twitter
Além do YouTube e do TikTok, outra plataforma de vídeos explorada pelas candidaturas é Kwai




“Pessoas estão cansadas de agressividade”

Para Marco Ruediger, diretor da FGV-ECMI, o crescimento da campanha petista em redes de vídeos dialoga com as mudanças da conjuntura de 2018 para 2022. Na eleição deste ano, a economia se impõe como tema mais urgente diante de questões morais ou religiosas. “Tanto Lula como Bolsonaro operam no emocional, ambos são carismáticos, mas acho que as pessoas estão cansadas de agressividade o tempo todo”, afirma. Para ele, essa “é a eleição do vídeo”.

Leia também: Minuto a minuto: veja como foi a sabatina do JN com o candidato à Presidência Lula

Já para Fábio Malini, pesquisador da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o audiovisual terá centralidade na eleição por trazer os formatos dos microvídeos e a máquina de edição rápida e barata do TikTok. “Tem animação, reacts, todo tipo de conteúdo divertido, mas requer, obviamente, uma internet mais acelerada ao usuário. É uma realidade vivida mais por quem vivencia as áreas metropolitanas”.

Além do YouTube e do TikTok, outra plataforma de vídeos explorada pelas candidaturas é Kwai – aplicativo que hoje tem mais força no Nordeste. “Os dois têm postado pelo menos um vídeo por dia no Kwai. Lula tem 1,8 milhão de seguidores e Bolsonaro, 2,4 milhões. Como ela é mais nova, ainda há pouco monitoramento e pesquisa sobre a rede”.

Altamiro Borges


As opiniões expressas nesse artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul

Assista na TV Diálogos do Sul


Se você chegou até aqui é porque valoriza o conteúdo jornalístico e de qualidade.

A Diálogos do Sul é herdeira virtual da Revista Cadernos do Terceiro Mundo. Como defensores deste legado, todos os nossos conteúdos se pautam pela mesma ética e qualidade de produção jornalística.

Você pode apoiar a revista Diálogos do Sul de diversas formas. Veja como:


As opiniões expressas neste artigo não refletem, necessariamente, a opinião da Diálogos do Sul do Global.

Altamiro Borges

LEIA tAMBÉM

1fe87bc8-369d-4b78-beb4-3c0e60d7b520
Qual o preço da aprovação do furo do teto dos gastos? Saiu barato para o centrão!
60c4bd06-ab9f-4bd3-8926-d6d97b0e6289
Por mentir descaradamente durante eleições, Jovem Pan perde monetização no YouTube
a1478090-ccd2-4be6-a65e-9208a13c3341
Com derrota à crueldade fascista, RS dá fôlego à esquerda e retoma diálogo democrático
d3908a35-5d39-49e0-8e1b-a5eb2078d981
Fascistas nas ruas, serviço público precário e prefeito negligente: Porto Alegre volta a 1964