Mariane Barbosa

Pré-candidato do PT em SP, Jilmar Tatto critica privatizações e promete passe livre universal

“Se educação é gratuita tem que ser universal, se a saúde é gratuita, por que não [é gratuito] o direito de ir e vir?”, questiona ex-secretário de transportes

Redação Diálogos do Sul

Diálogos do Sul Diálogos do Sul

São Paulo (SP) (Brasil)

Centro financeiro do país, São Paulo está entre as cidades mais populosas do mundo com mais de 12 milhões de pessoas, o que torna o transporte da população um dos principais temas de interesse nas eleições para prefeitura em outubro de 2020.

Nesta quarta-feira (05), publicamos a conversa com o ex-deputado federal e ex-secretário de mobilidade urbana de São Paulo Jilmar Tatto, que é considerado um dos nomes mais fortes dentro do PT nas prévias que serão realizadas no próximo dia 15 de março. Nesta entrevista, ele fala sobre mobilidade urbana e a atual gestão do município.

Pensando a cidade, a Diálogos do Sul está entrevistando todos os pré-candidatos do Partido dos Trabalhadores (PT) e demais partidos de esquerda à Prefeitura. 

Mariane Barbosa
Jilmar Tatto durante entrvista para jornalista Vanessa martina

Uma das maiores críticas do professor e atual secretário nacional de comunicação do PT é ao forte apelo à privatização do atual governo de Bruno Covas e João Doria, ambos do PSDB.  “O discurso deles é privatista, neoliberal e anti-povo”, diz Tatto ao denunciar o sucateamento que acontece na cidade. 

“Qual o discurso de Doria, Bolsonaro e Bruno Covas? Privatizar. Precarizar o serviço público para depois privatizar, com um desmonte na educação, na saúde, na assistência social.”

Há anos, a cidade de São Paulo tem protestos reivindicando diminuição do preço da passagem de ônibus e metrôs (hoje o valor é de R$ 4,40). O Movimento pelo Passe Livre é, inclusive, um dos mais ativos e importante na capital paulista. Entrando na polêmica, Tatto diz que uma de suas propostas é conceder passe livre universal para os paulistanos. Questionado sobre a viabilidade da medida, ele garante que há recursos para isso e que se trata de uma questão de gestão.

“Se a educação é gratuita tem que ser universal, se a saúde é gratuita, tem que ser universal, por que não [é gratuito] o direito de ir e vir? Ele precisa ser público e gratuito e universal para todos”, diz.

Mestre e hoje doutorando na área de transporte e mobilização pela Universidade de São Paulo (USP), ele também defende que aos domingos e feriados o transporte seja mais barato -- caso não seja implantado o passe livre -- para que a periferia tenha acesso ao centro da cidade, aos parques e serviços da capital 

Criticando a gestão tucana, ele citar o exemplo do monotrilho na região de São Mateus, zona leste da cidade. Inaugurado há cerca de um mês, o transporte já enfrenta problemas de superlotação: “falta de planejamento e seriedade”.

O governo de Fernando Haddad criou mais de 400 quilômetros de ciclovias em São Paulo. Questionado sobre as ciclofaixas que não se interligam aos outros diversos serviços de transportes coletivos, Tatto diz que parte de sua meta é ampliar a malha existente e conectá-las a shoppings, centro da cidade, aos hospitais, aos terminais de ônibus e metrôs.

Prévias

As prévias do PT serão realizadas no próximo dia 15 de março. O partido tem sete candidatos: Alexandre Padilha, Paulo Teixeira, Carlos Zarattini, Eduardo Suplicy, Jilmar Tatto, Nabil Bonduki e , Valkiria “Kika” de Souza Silva. Você pode já conferir, abaixo, as entrevistas que já publicamos. Se preferir, também pode ler as entrevistas com o Deputado Carlos Zarattini e o vereador Eduardo Suplicy,  o deputado Paulo Teixeira e Valkiria “Kika” de Souza Silva.

Carlos Zarattini

Eduardo Suplicy


 

Paulo Teixeira

“Kika” de Bessen





Comentários